top of page
  • Foto do escritorClinica NeuroGandolfi

Desidratação Infantil e suas Consequências: Como as Crises de Cefaleia Podem ser um Sinal de Alerta

Atualizado: 22 de jan.



Desidratação Infantil e suas Consequências: Como as Crises de Dores de Cabeça Podem ser um Sinal de Alerta


A desidratação em crianças é uma preocupação séria que, muitas vezes, pode passar despercebida. Além dos impactos no funcionamento geral do corpo, a desidratação também pode desencadear crises de dores de cabeça, afetando o bem-estar e o desempenho cotidiano das crianças. Vamos explorar a relação entre desidratação e dores de cabeça em crianças, assim como estratégias para prevenir e abordar esses problemas.


Desidratação em Crianças: Uma Questão Vital:

A desidratação ocorre quando o corpo perde mais líquidos do que recebe, e as crianças são particularmente suscetíveis a esse quadro. Seja devido à atividade física intensa, clima quente, ou simplesmente esquecendo de beber água regularmente, a desidratação pode se manifestar de maneira sutil, muitas vezes não reconhecida pelos pais.


Impacto nas Dores de Cabeça:

A desidratação afeta a circulação sanguínea e a entrega de oxigênio ao cérebro, podendo desencadear dores de cabeça em crianças. As dores de cabeça associadas à desidratação muitas vezes são descritas como latejantes e podem vir acompanhadas de outros sintomas, como tontura e irritabilidade.


Sinais de Desidratação em Crianças:

  1. Boca Seca e Lábios Rachados: Sinal clássico de desidratação.

  2. Urina Escura e Pouco Frequente: Indica uma concentração maior de substâncias na urina.

  3. Fadiga e Irritabilidade: A desidratação pode causar cansaço e mudanças de humor.

  4. Olhos Fundos: Os olhos podem parecer mais afundados quando a criança está desidratada.


Prevenção e Tratamento:

  1. Incentivar a Hidratação Regular: Estabelecer hábitos de beber água ao longo do dia.

  2. Monitorar a Atividade Física: Em dias quentes ou durante atividades intensas, aumentar a ingestão de líquidos.

  3. Oferecer Alimentos Ricos em Água: Frutas e vegetais, como melancia e pepino, podem contribuir para a hidratação.

  4. Educar sobre a Importância da Água: Ensinar as crianças sobre os benefícios da hidratação para a saúde.


Quando Procurar Ajuda Médica:

Se uma criança apresentar sinais persistentes de desidratação, como tonturas frequentes, falta de energia constante ou dores de cabeça recorrentes, é essencial buscar orientação médica. O pediatra poderá avaliar a gravidade do quadro e oferecer recomendações específicas para o caso.


Conclusão:

A desidratação não é apenas uma questão de conforto, mas sim um fator crucial para o funcionamento saudável do corpo, especialmente em crianças. Ao abordar a desidratação e suas potenciais consequências, podemos contribuir para o bem-estar geral das crianças, promovendo uma vida ativa e livre de desconfortos desnecessários. Lembre-se sempre da importância de manter um equilíbrio adequado de líquidos para garantir o desenvolvimento saudável e a vitalidade contínua das crianças.


Dra. Valéria Gandolfi Geraldo

Pediatria - Neurologia Pediátrica

CRM-SP: 105.691 / RQE: 26.501-1


Sugestão de Leitura:

1 visualização0 comentário
bottom of page