top of page
  • Foto do escritorClinica NeuroGandolfi

A Complexidade da Vertigem Paroxística na Infância e sua Ligação com a Migrânea Infantil



A Complexidade da Vertigem Paroxística na Infância e sua Ligação com a Migrânea Infantil

A infância é uma fase marcada por uma série de descobertas e experiências, mas para algumas crianças, esse período pode ser ofuscado por sintomas que indicam a ocorrência de síndromes periódicas, que frequentemente antecedem a migrânea, conhecida popularmente como enxaqueca. Dentre essas síndromes, a vertigem paroxística emerge como um fenômeno intrigante, manifestando-se por meio de diversos sintomas característicos.


Sintomas Distintivos da Vertigem Paroxística: Um Panorama Detalhado

A vertigem paroxística na infância apresenta uma série de sinais distintivos que podem variar em intensidade e frequência. Entre os sintomas mais comuns, destacam-se:


1. Alteração do Equilíbrio: Crianças afetadas pela vertigem paroxística muitas vezes experimentam uma súbita e intensa sensação de desequilíbrio. Esse sintoma pode ser particularmente desconcertante, pois compromete a estabilidade física e emocional da criança.


2. Palidez Facial: A palidez facial é uma resposta fisiológica associada à vertigem paroxística. O rosto da criança pode perder temporariamente sua coloração natural devido ao desconforto e à intensidade do episódio.


3. Vômitos: A vertigem paroxística frequentemente desencadeia episódios de vômitos, contribuindo para o desconforto físico e emocional da criança. Essa manifestação pode ser especialmente angustiante para os pais e cuidadores que testemunham esses sintomas.


4. Sudorese: A sudorese excessiva é outro indicativo comum durante episódios de vertigem paroxística. A resposta autonômica do corpo à situação desencadeia a produção intensificada de suor.


5. Olhar Assustado: Crianças afetadas muitas vezes demonstram um olhar assustado durante os episódios de vertigem. Esse comportamento reflete a confusão e o desconforto que acompanham esses momentos.


6. Nistagmo (Movimentos Oculares Involuntários): O nistagmo, caracterizado por movimentos oculares involuntários, é uma manifestação ocular típica durante episódios de vertigem paroxística. Essa resposta neurológica pode ser observada pelos pais ou profissionais de saúde.


A Busca por Apoio e Compreensão: Desafios no Diagnóstico Precoce

Identificar e compreender os sintomas da vertigem paroxística na infância podem ser desafios significativos para pais, cuidadores e até mesmo profissionais de saúde. A natureza episódica e imprevisível desses eventos pode levar a interpretações equivocadas ou atrasos no diagnóstico. É fundamental estar atento a esses sinais e buscar orientação médica especializada para garantir uma abordagem adequada.


Procurando Apoio Profissional: Encaminhamento para Diagnóstico e Intervenção

Diante da suspeita de vertigem paroxística na infância, é crucial buscar a orientação de um profissional de saúde, como neurologista pediátricos com expertise em cefaleia. A avaliação clínica e, quando necessário, a realização de exames, como o eletroencefalograma (EEG) e Ressonância Nuclear magnética de encéfalo (1,5 tesla ou mais) com e sem gadolínio, com espectroscopia, com protocolo otimizado HARNESS-MR1 (epilepsia), podem contribuir para um diagnóstico preciso.


A Relação com a Migrânea Infantil: Um Elo Importante

A vertigem paroxística na infância não deve ser encarada isoladamente; muitas vezes, ela está associada à migrânea, um tipo de cefaleia conhecida por causar dores de cabeça intensas e recorrentes. Estudos indicam que uma porcentagem significativa de crianças que experimentam vertigem paroxística desenvolverá migrânea ao longo do tempo.


Intervenções e Manejo Adequado: Diretrizes para Cuidados Efetivos

Uma vez identificada a vertigem paroxística na infância, é essencial adotar estratégias de manejo e intervenção adequadas. O tratamento pode incluir abordagens farmacológicas, orientações sobre estilo de vida e, em alguns casos, terapias complementares. O suporte contínuo dos pais e cuidadores desempenha um papel crucial no processo de gerenciamento.


Conclusão: Compreensão Profunda para uma Jornada Consciente

A vertigem paroxística na infância não deve ser subestimada, e uma abordagem integral é necessária para compreender plenamente seus impactos e desafios. A conscientização sobre os sintomas distintivos, a busca por diagnóstico precoce e a colaboração com profissionais de saúde capacitados são elementos essenciais para garantir o bem-estar e a qualidade de vida das crianças afetadas por essa condição singular.



Dra. Valéria Gandolfi Geraldo

Pediatria - Neurologia Pediátrica

CRM-SP 105.691 - RQE: 26.501-1


Sugestão de Leitura:

3 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page