top of page
  • Foto do escritorClinica NeuroGandolfi

Segurança em Primeiros Socorros: Lidando com Crises Epilépticas na Infância



Segurança em Primeiros Socorros: Lidando com Crises Epilépticas na Infância


As crises epilépticas podem ser eventos assustadores, especialmente quando ocorrem em crianças. Saber como agir adequadamente durante uma crise é essencial para garantir a segurança da criança e proporcionar o melhor suporte possível. Neste texto, abordaremos informações detalhadas sobre os primeiros socorros em casos de crise epiléptica na infância.


1. Mantenha a Calma:

  • Em primeiro lugar, é crucial manter a calma. Embora seja natural sentir ansiedade durante uma crise, permanecer tranquilo ajudará a garantir uma resposta eficaz.


2. Proteja a Criança:

  • Coloque a criança em um local seguro, afastando objetos pontiagudos ou perigosos ao redor. Isso evita lesões durante os movimentos involuntários que podem ocorrer durante a crise.


3. Observe a Duração da Crise:

  • Faça uma nota mental do tempo que a crise está ocorrendo. A maioria das crises epilépticas em crianças é breve, geralmente durando menos de cinco minutos. Se a crise se estender além desse tempo, chame imediatamente ajuda médica.


4. Não Segure ou Restrinja a Criança:

  • Evite segurar ou restringir a criança durante a crise. Permita que os movimentos aconteçam naturalmente. Segurar pode causar lesões ou aumentar a agitação da criança.


5. Posicione a Cabeça:

  • Vire a criança de lado para evitar que ela engasgue com saliva ou vômito. Coloque um travesseiro ou algo macio sob a cabeça para protegê-la de lesões.


6. Não Coloque Nada na Boca:

  • Nunca coloque nada na boca da criança durante uma crise, como uma colher ou lenço. Isso pode levar a ferimentos ou obstrução das vias aéreas.


7. Após a Crise:

  • Quando a crise terminar, permaneça com a criança e ofereça conforto. Ela pode estar confusa ou sonolenta. Garanta que o ambiente ao redor seja seguro e acolhedor.


8. Busque Ajuda Médica se Necessário:

  • Se esta for a primeira crise da criança, ou se a crise durar mais de cinco minutos, chame uma ambulância e procure ajuda médica imediatamente. Ligue: 192 e chame o SAMU.


9. Registre Detalhes da Crise:

  • Faça anotações sobre a duração, movimentos observados e quaisquer outros detalhes que possam ser úteis para o médico no futuro.


10. Acompanhamento Médico:

  • Após uma crise epiléptica, é essencial procurar acompanhamento médico para avaliação, diagnóstico e estabelecimento de um plano de tratamento, se necessário.


Conclusão: Estar preparado para lidar com crises epilépticas na infância é uma parte importante do cuidado para pais, cuidadores e professores. O conhecimento sobre primeiros socorros proporciona confiança e permite uma resposta rápida e eficaz quando mais importa. Se você tiver dúvidas ou preocupações sobre crises epilépticas em crianças, consulte um Neurologista Pediátrico com expertise em Epilepsia e Crises Epilépticas para orientações personalizadas.


Dra. Valéria Gandolfi Geraldo

Pediatria - Neurologia Pediátrica

CRM-SP: 105.691 / RQE: 26.501-1


1 visualização0 comentário
bottom of page