Buscar
  • Clinica NeuroGandolfi

Uso de medicamentos nos transtornos neurobiológicos - Transtornos do neurodesenvolvimento

Atualizado: 10 de Out de 2020


💊Não há uma medicação ainda disponível para cura dos transtornos do neurodesenvolvimento, ou seja, nenhuma medicação será capaz de regredir os sintomas próprios destas condições.


⚠️ O diagnóstico preciso das condições coexistentes orienta a terapia medicamentosa.


💊A medicação é usada para ajudar a gerenciar:

  • Transtornos mentais e comportamentais coexistentes, como TDAH, transtornos do humor ou transtornos de ansiedade.

  • Comportamentos ou sintomas de problemas associados, causando comprometimento e angústia significativos, como: agressão, comportamento autolesivo, distúrbio do sono, instabilidade do humor, ansiedade, hiperatividade, impulsividade e desatenção.


🚨Só deve ser considerada medicação, após:

  • Analise funcional dos comportamentos problemas: essa análise deve orientar o desenvolvimento de um plano de tratamento no ambiente escolar e familiar.

  • Analisar se o comportamento serve como comunicação de angústia ou recusa.

  • O terapeuta comportamental ir ao domicílio e à escola e avaliar as razões do comportamento, fornecer orientações e treinamentos de estratégias à família, cuidadores e escola no manejo desses comportamentos problemas. Ele elabora programas de ensino para reduzir comportamentos inapropriados.

  • Histórico cuidadoso e físico para procurar fatores médicos que possam causar ou exacerbar comportamentos desafiadores, como, por exemplo, refluxo gastroesofágico e fontes agudas de dor, como otite média, lesão dentária, fratura e outros.

  • Com as condições médicas tratáveis descartadas e fatores comportamentais avaliados e, se a intervenção não conseguir resolve-los, está indicado medicamento.


⁉️E quais são esses medicamentos:

  • Para os Comportamentos de agressão, comportamento autolesivo, estereotipias em excesso, instabilidade do humor, ansiedade, disruptivos, transtorno do controle de Impulsos e da conduta, hiperatividade, impulsividade e desatenção: o aripriprazol ou a risperidona.

  • Para o quadro de tique, a clonidina.

  • Para os distúrbios do sono, o suplemento melatonina.

  • Para os outros Transtornos mentais e comportamentais coexistentes, os psicoestimulantes, os estabilizadores do humor e os antidepressivos.

⚠️Os psicoestimulantes são indicados apenas nos casos com QI (quoeficiente de inteligência) acima de 70, acima de 6 anos de idade, sem comportamento autolesivo e sem transtorno depressivo ou bipolar.


⚠️O treinamento de pais, cuidadores e escola se revela um procedimento indispensável e bastante efetivo no tratamento de crianças e adolescentes com comportamentos problemas. As técnicas de modificação de comportamentos eliminam do repertorio do sujeito os comportamentos inadequados, generalizam comportamentos adequados e estabelecem formas adequadas de agir socialmente.


❌🚫A classe dos benzoazepínicos, devido ao seu poder aditivo, ou seja, de causar dependência e síndrome de abstinência, não é usado na saúde mental da infância e adolescência.


⚠️Em pacientes com antecedentes de crises epilépticas ou epilepsia, não podemos esquecer das interações medicamentosas e piora das crises com o uso de algumas classes de drogas. Antes de iniciar qualquer medicamento, consulte o seu neurologista!


#autismo #autista #tdah #tique #transtornodacomunicacão #transtornododesenvolvimentomotor #deficienciaintelectual #apraxiadafala #atrasoglobaldodesenvolvimento #transtornodoneurodesenvolvimento #transtornosneurobiologicos


Dra. Valéria Gandolfi Geraldo

Pediatria - Neurologia Pediátrica

CRM-SP 105.691 / RQE; 26.501-1

5 visualizações0 comentário