• Clinica NeuroGandolfi

TDAH: Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade

Atualizado: Out 10


❗ O Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) é um distúrbio neurobiológico, que aparece na infância e normalmente acompanha a pessoa por toda a sua vida.


➡ Ele é caracterizado por sintomas de desatenção, inquietude e impulsividade.


➡ Mesmo que muitas pessoas ainda não conheçam, este é o transtorno mais comum em crianças e adolescentes.


➡ Os meninos tendem a ter mais sintomas de hiperatividade e impulsividade que as meninas, mas todos costumam ser desatentos. Crianças e adolescentes com TDAH podem apresentar mais problemas de comportamento, como por exemplo, dificuldades com regras e limites.


➡ Vários estudos no mundo, mostram que a prevalência do TDAH é igual em diferentes regiões, o que indica que o transtorno não é característico de fatores culturais, educacionais ou resultado de conflitos psicológicos.


➡ A predisposição genética e a ocorrência de alterações nos neurotransmissores (dopamina e noradrenalina) que estabelecem as conexões entre os neurônios na região frontal do cérebro são apontadas como as principais causas do transtorno do déficit de atenção.


➡️ Antes de pensarmos em déficit de atenção, não podemos esquecer que a atenção não pode ser mantida durante 50 minutos, por isso é preciso romper o formato atual das aulas. Mais vale assistir 50 aulas de 10 minutos do que 10 aulas de 50 minutos.


✔️Na prática, uma vez que esses formatos não serão alterados em breve, os professores devem quebrar a cada 15 minutos com um elemento disruptor: uma anedota sobre um pesquisador, uma pergunta, um vídeo que levante um assunto diferente.


SNAP-IV

O questionário SNAP-IV é apenas um ponto de partida para levantamento de alguns possíveis sintomas primários do TDAH. Ele não é instrumento de diagnóstico. É de rastreamento de sintomas de 4 anos a 17 anos e 11 meses.


O diagnóstico correto e preciso do TDAH só pode ser feito através de uma longa anamnese (entrevista) com um profissional médico especializado (psiquiatra da infância e adolescência, pediatra do desenvolvimento e comportamento ou neurologista pediátrico).


Muitos dos sintomas nele relacionados podem estar associados a outras condições coexistentes ao TDAH e outras condições clínicas e psicológicas.

Lembre-se sempre que qualquer diagnóstico só pode ser fornecido por um profissional médico.


✅Como avaliar:

  1. Se existem pelo menos 6 itens marcados como “BASTANTE” ou “DEMAIS” de 1 a 9 = existem mais sintomas de desatenção que o esperado numa criança ou adolescente.

  2. Se existem pelo menos 6 itens marcados como “BASTANTE” ou “DEMAIS” de 10 a 18 = existem mais sintomas de hiperatividade e impulsividade que o esperado numa criança ou adolescente.

O questionário SNAP-IV é útil para avaliar apenas o primeiro dos critérios (critério A) para se fazer o diagnóstico. Existem outros critérios que também são necessários.


⚠️IMPORTANTE: Não se pode fazer o diagnóstico de TDAH apenas com o critério A! Veja a seguir os demais critérios.


  • CRITÉRIO A: Sintomas (vistos na foto acima)

  • CRITÉRIO B: Vários sintomas de desatenção ou hiperatividade-impulsividade estavam presentes antes dos 12 anos de idade.

  • CRITÉRIO C: Vários sintomas de desatenção ou hiperatividade-impulsividade estão presentes em dois ou mais ambientes (p. ex., em casa, na escola, no trabalho; com amigos ou parentes; em outras atividades).

  • CRITÉRIO D: Há evidências claras de que os sintomas interferem no funcionamento social, acadêmico ou profissional ou de que reduzem sua qualidade.

  • CRITÉRIO E: Os sintomas não ocorrem exclusivamente durante o curso de esquizofrenia ou outro transtorno psicótico e não são mais bem explicados por outro transtorno mental (p. ex., transtorno do humor, transtorno de ansiedade, transtorno dissociativo, transtorno da personalidade, intoxicação ou abstinência de substância).

⚠️Subtipos do TDAH

  • CID 10 : F90.2 - Apresentação combinada: Se tanto o Critério A1 (desatenção) quanto o Critério A2 (hiperatividade-impulsividade) são preenchidos nos últimos 6 meses.

  • CID 10: F90.0 - Apresentação predominantemente desatenta: Se o Critério A1 (desatenção) é preenchido, mas o Critério A2 (hiperatividade-impulsividade) não é preenchido nos últimos 6 meses.

  • CID 10: F90.1 - Apresentação predominantemente hiperativa/impulsiva: Se o Critério A2 (hiperatividade-impulsividade) é preenchido, e o Critério A1 (desatenção) não é preenchido nos últimos 6 meses.

⚠️Tem que se especificar, no TDAH, se a pessoa está:

  • Em remissão parcial: Quando todos os critérios foram preenchidos no passado, nem todos os critérios foram preenchidos nos últimos 6 meses, e os sintomas ainda resultam em prejuízo no funcionamento social, acadêmico ou profissional.


⚠️Niveis de Gravidade atual do TDAH:

  1. Leve: Poucos sintomas, se algum, estão presentes além daqueles necessários para fazer o diagnóstico, e os sintomas resultam em não mais do que pequenos prejuízos no funcionamento social ou profissional.

  2. Moderada: Sintomas ou prejuízo funcional entre “leve” e “grave” estão presentes.

  3. Grave: Muitos sintomas além daqueles necessários para fazer o diagnóstico estão presentes, ou vários sintomas particularmente graves estão presentes, ou os sintomas podem resultar em prejuízo acentuado no funcionamento social ou profissional.

Tratamento

O novo Guideline da Academia Americana de Pediatria (AAP) oferece diretrizes praticas para manejo do TDAH em crianças e adolescentes de 4 anos a 17 anos e 11 meses. Recomenda-se o manejo com um modelo de atendimento de paciente crônico multidisciplinar e focado no paciente, incluindo a coordenação do atendimento com o pessoal da escola e terapeutas. Condições coexistentes precisam ser formalmente avaliadas, como ansiedade, depressão, uso de substâncias, transtornos da linguagem e aprendizado, e gerenciadas diretamente ou com encaminhamentos a fonoaudiólogo educacional, psicopedagogo e terapia ocupacional no contexto escolar e/ou com certificação internacional em integração sensorial. Para crianças menores de 4 anos de idade com sintomas sugestivos de TDAH, deve-se encaminhar para o treinamento de manejo comportamental para pais, que é uma psicoterapia para crianças e adolescentes realizada com seus pais. Nas crianças e adolescentes de 4 anos a 17 anos e 11 meses, tratamento deve incluir: treinamento de manejo comportamental para pais e apoios escolares para crianças de 4 a 6 anos; treinamento de manejo comportamental para pais, apoio escolar e medicamentos para crianças de 6 a 12 anos; e apoios escolares, medicamentos e apoios de transição para maiores de 12 anos. Os adolescentes devem ser rastreados quanto ao abuso de substâncias. Portanto, não se medica crianças de 4 a 6 anos e muito menos as menores de 4 anos, onde o diagnóstico formal de TDAH ainda não pode ser feito.


#tdah #transtornodedeficitdeatençãoehiperatividade #saúdeinfantil #saudenainfancia #mamaecuida #papaicuida #saúde #maternidade


Dra. Valéria Gandolfi Geraldo

Pediatria - Neurologia Pediátrica

CRM-SP: 105.691 / RQE: 26.501-1


LEIA TAMBÉM:


Wolraich ML et al. Clinical practice guideline for the diagnosis, evaluation, and treatment of attention-deficit/hyperactivity disorder in children and adolescents. Pediatrics 2019


https://pediatrics.aappublications.org/content/pediatrics/144/4/e20192528.full.pdf

Rua Dr. Pedro Costa, 483 - 3o. andar, sala 32, Centro, Taubaté - SP

CEP: 12.010-160  -  Tel: (12)-3621.4846 / Celular e whatsApp: (12) 97401. 8970  

E-mail: neurogandolfi@hotmail.com  -  Atendimento secretaria: Segunda a sexta das 9h às 16h

©  2020 por Clínica Neurológica Gandolfi.

  • CE28317B-9C74-43D8-8275-87F447147B56_edi
  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon