top of page
  • Foto do escritorClinica NeuroGandolfi

Desvendando as Diferenças: Distúrbio Escolar e Transtorno Específico de Aprendizagem


Desvendando as Diferenças: Distúrbio Escolar e Transtorno Específico de Aprendizagem

O processo intricado da aprendizagem é uma jornada complexa que envolve diversos fatores, desde biológicos até emocionais. É crucial compreender a distinção entre Distúrbio Escolar e Transtorno Específico de Aprendizagem, duas categorias que podem estar relacionadas ao desafio educacional enfrentado por algumas crianças.


Distúrbio Escolar: Uma Abordagem Abrangente

O Distúrbio Escolar é um termo amplo que abarca uma variedade de dificuldades no ambiente escolar, muitas vezes provenientes de múltiplos fatores. Essas dificuldades podem ser de ordem biológica, social, cognitiva ou emocional. Em alguns casos, a desmotivação, problemas financeiros ou conflitos familiares podem contribuir para o distúrbio escolar.


Diante de um quadro de baixo rendimento acadêmico, visitar um psicólogo pode ser uma abordagem eficaz para identificar e tratar as causas subjacentes do distúrbio. O profissional pode investigar a fundo questões emocionais, sociais ou familiares que possam estar impactando negativamente o desempenho escolar da criança. Uma abordagem multidisciplinar pode envolver não apenas o psicólogo, mas também outros especialistas, dependendo das necessidades específicas da criança.





Transtorno Específico de Aprendizagem: Desafios Neurológicos Distintos

Por outro lado, o Transtorno Específico de Aprendizagem está intrinsicamente relacionado a dificuldades pontuais derivadas de transtornos neurobiológicos, englobados dentro da categoria dos Transtornos do Neurodesenvolvimento. Nesse caso, a criança apresenta dificuldades em seu aprendizado global, abrangendo áreas como matemática, escrita e leitura. Transtornos como dislexia, disgrafia, disortografia e discalculia são exemplos conhecidos de Transtornos Específicos de Aprendizagem que se enquadram nessa categoria.


O tratamento para Transtorno Específico de Aprendizagem muitas vezes requer uma abordagem mais especializada. Profissionais como fonoaudiólogos desempenham um papel crucial, concentrando-se em áreas específicas de dificuldade, como a linguagem (expressiva, compreensiva e pragmática), habilidades cognitivo linguísticas, leitura e expressão escrita. Além disso, a estimulação cognitiva é frequentemente empregada para fortalecer habilidades cognitivas fundamentais.


A abordagem ao Transtorno Específico de Aprendizagem é, invariavelmente, multidisciplinar. Equipes que incluem psicopedagogos, terapeutas ocupacionais psicólogos comportamentais, psicomotricistas, fonoaudiólogos, neurologistas pediátricos ou pediatras do desenvolvimento e comportamento e outros especialistas colaboram para oferecer um plano de tratamento abrangente, adaptado às necessidades individuais da criança.


Conclusão: Estratégias Distintas para Desafios Únicos

A distinção entre Distúrbio Escolar e Transtorno Específico de Aprendizagem é crucial para orientar as estratégias de intervenção. Enquanto o Distúrbio Escolar exige uma investigação integral das causas subjacentes, o Transtorno Específico de Aprendizagem demanda uma abordagem mais direcionada a desafios neurológicos específicos.


Em ambos os casos, a participação ativa dos pais é essencial. Compreender as nuances dessas condições permite que os pais colaborem de maneira mais eficaz com os profissionais de saúde e educação, garantindo que seus filhos recebam o apoio adequado para superar os desafios e prosperar em seu desenvolvimento educacional.



Dra. Valéria Gandolfi Geraldo

Pediatria - Neurologia Pediátrica

CRM-SP: 105.691 / RQE: 26.501-1

59 visualizações0 comentário

Комментарии


bottom of page