top of page
  • Foto do escritorClinica NeuroGandolfi

Desvendando a Discalculia: Um Desafio Específico na Aprendizagem Matemática



Desvendando a Discalculia: Um Desafio Específico na Aprendizagem Matemática

A aprendizagem matemática é uma jornada desafiadora para muitas crianças, mas algumas enfrentam obstáculos particulares que vão além das dificuldades comuns. A Discalculia, também conhecida como Transtorno Específico de Aprendizagem com Prejuízo na Matemática, é um desses desafios que afeta a capacidade de compreensão e processamento de informações numéricas. Neste texto, vamos explorar em detalhes o que é a Discalculia, seus sinais distintivos e como ela pode impactar o desenvolvimento educacional de crianças em idade escolar.


1. Entendendo o Transtorno Específico de Aprendizagem com Prejuízo na Matemática:

A Discalculia é classificada como um transtorno específico de aprendizagem que geralmente se manifesta durante a idade escolar. O termo mais atualmente utilizado é Transtorno Específico de Aprendizagem com Prejuízo na Matemática, e é categorizado sob os códigos CID 10: F81.2 e CID 11: 6A03.2. Esse transtorno abrange dificuldades específicas em áreas cruciais do aprendizado matemático.


2. Componentes Afetados pelo  Transtorno Específico de Aprendizagem com Prejuízo na Matemática:

Para ser diagnosticada como  Transtorno Específico de Aprendizagem com Prejuízo na Matemática:, a criança deve apresentar prejuízo em áreas específicas, tais como:

  • Senso Numérico: A capacidade de compreender e manipular números de forma intuitiva.

  • Memorização de Fatos Aritméticos: A dificuldade em memorizar e recordar fatos e operações aritméticas.

  • Precisão ou Fluência de Cálculo: Dificuldades em realizar cálculos com precisão e fluência.

  • Precisão no Raciocínio Matemático: Dificuldades em compreender e aplicar o raciocínio matemático em contextos variados.


3. Características Centrais do  Transtorno Específico de Aprendizagem com Prejuízo na Matemática:

Crianças com Transtorno Específico de Aprendizagem com Prejuízo na Matemática podem manifestar uma série de comportamentos que indicam suas dificuldades específicas. Esses comportamentos podem incluir:

  • Dificuldade em Identificar Sinais Matemáticos: Dificuldade em reconhecer e compreender símbolos e sinais matemáticos, como +, -, x, /.

  • Incapacidade de Montar Operações: Dificuldade em organizar e realizar operações matemáticas, como adição, subtração, multiplicação e divisão.

  • Problemas com Sequências: Dificuldade em seguir sequências lógicas de números ou eventos matemáticos.

  • Desafios em Medir e Classificar Números: Dificuldade em entender princípios de medida e classificar números em ordem crescente ou decrescente.

  • Relacionamento com o Valor de Moedas: Dificuldade em associar valores às diferentes moedas e compreender conceitos financeiros básicos.


4. Impacto na Vida Escolar:

As crianças com  Transtorno Específico de Aprendizagem com Prejuízo na Matemática enfrentam desafios significativos em sala de aula, pois suas dificuldades matemáticas podem afetar diversas áreas acadêmicas. Esse transtorno pode prejudicar o desempenho em disciplinas que envolvem conceitos matemáticos, como física, química e economia, limitando o acesso a uma variedade de oportunidades educacionais.


5. Diagnóstico e Intervenção:

O diagnóstico do Transtorno Específico de Aprendizagem com Prejuízo na Matemática geralmente envolve a avaliação de um profissional de saúde especializado, como um Pediatra do Desenvolvimento e Comportamento ou Neurologista Pediátrico, Psicopedagogos e Neuropsicólogos. Uma vez diagnosticado, a intervenção precoce é essencial para mitigar os efeitos a longo prazo do Transtorno Específico de Aprendizagem com Prejuízo na Matemática. Estratégias pedagógicas específicas, apoio individualizado e técnicas de ensino adaptadas podem ajudar a criança a superar suas dificuldades matemáticas.


6. Suporte Contínuo e Inclusão:

As crianças com Transtorno Específico de Aprendizagem com Prejuízo na Matemática se beneficiam de um ambiente educacional inclusivo, onde recebem suporte contínuo e adaptado às suas necessidades específicas. Professores, pais e profissionais de saúde desempenham um papel crucial no fornecimento de recursos e estratégias que permitam à criança desenvolver habilidades matemáticas de maneira gradual e positiva.


Conclusão: Desmistificando o Transtorno Específico de Aprendizagem com Prejuízo na Matemática  para uma Abordagem Consciente:

Compreender o Transtorno Específico de Aprendizagem com Prejuízo na Matemática  é o primeiro passo para garantir que crianças com esse transtorno do neurodesenvolvimento recebam o suporte adequado para prosperar em seu percurso educacional. A conscientização sobre as características desse transtorno neurobiológico específico de aprendizagem é fundamental para criar ambientes inclusivos que promovam o desenvolvimento saudável e equitativo de todas as crianças, independentemente de suas dificuldades matemáticas. #discalculia #transtornodeaprendizagem #dificuldadenaaprendizagem #aprender #sercrianca #idadeescolar #aprendizagem #desenvolvimentoinfantil #infancia #ensinofundamental


Dra. Valéria Gandolfi Geraldo

Pediatria - Neurologia Pediátrica

CRM-SP: 105.691 / RQE: 26.501-1

0 visualização0 comentário
bottom of page